Flacidez: Tudo o que você precisa saber

Flacidez: Tudo o que você precisa saber

Apesar de a flacidez ser uma queixa mais comum em mulheres maduras, é cada vez mais comum nos consultórios a presença de jovens querendo prevenir ou até tratar o mal. A flacidez ocorre devido ao aparecimento de alterações na pele, principalmente na derme, no subcutâneo e na área muscular. Por isso, os cuidados com a pele devem começar cedo, de preferência a partir dos 20 anos. A partir dos 30 anos a pele começa a perder colágeno, que faz a sustentação da pele.

Fatores genéticos e tipo de pele influenciam muito. Quanto mais fina e clara for a pele, maior a chance de flacidez precoce. A exposição excessiva ao sol e sem proteção, também é nociva, já que prejudica as fibras elásticas e a produção de colágeno na face. Estresse, tabagismo, má alimentação, insônia, excesso de atividade física e efeito sanfona também são grandes responsáveis pelo aparecimento do problema.

Cuidados simples podem retardar os efeitos da flacidez. O uso de protetor solar, hidratação oral e local e uma alimentação saudável e regrada fazem toda a diferença. O uso de certos nutricosméticos, os chamados “cosméticos para comer”, também é recomendado, bem como cosméticos tópicos a base de ácido bio-hialurônico e colágeno.

Já para quem gosta, prefere ou precisa recorrer aos tratamentos estéticos, recomenda-se:

Luz Intensa Pulsada: o tratamento é ministrado através de pulsos de radiação luminosa de alta intensidade. As aplicações são rápidas, eficazes e seguras. São necessárias em média 6 a 8 sessões com intervalos de 20 dias entre elas.

Fototerapia: geralmente utilizada de forma coadjuvante a outros tratamentos anti-envelhecimento. Através da emissão luminosa de diferentes comprimentos de onda, que atingem células específicas, a fototerapia é indicada tanto para prevenir como tratar flacidez. Pode ser realizada 1 sessão por semana e o número necessário de sessões depende da associação com outras técnicas.

Laser de CO2 fracionado: laser próprio para rejuvenescimento que aquece as camadas da epiderme e derme, estimulando a remodelação e aumento do colágeno. Na primeira sessão já se nota um resultado incrível. São necessárias em média de 1 a 3 sessões por ano.

Radiofreqüência: aparelho que gera calor no tecido subcutâneo, promovendo a ativação dos fibroblastos, os quais produzem novas fibras de colágeno. Técnica não invasiva que oferece excelentes resultados logo nas primeiras sessões. São necessárias em média 6 a 8 sessões com intervalos de 20 ou 30 dias entre elas.

Radiofreqüência fracionada: tratamento que consiste de uma ponteira que emite microdisparos de radiofrequência fracionada, o que gera calor na derme, realizando evaporação celular e potencializando a produção de colágeno. O grande diferencial é que o tratamento poupa a superfície da pele, fazendo com que a recuperação seja mais rápida e com bastante segurança.

Criofrequência: Técnica ultramoderna que permite, numa mesma área do corpo, tratar simultaneamente celulite, flacidez e gordura localizada. E como o aparelho possui manoplas faciais também é possível tratar flacidez facial e de papada. Isso porque o encontro do frio e do calor, além de garantir a segurança do cliente, produz milhões de choques térmicos, mobilizando tanto o colágeno quanto as células de gordura.

Ulthera: procedimento para promover efeito lifting e tratamento da flacidez do pescoço, papada, sobrancelhas e contorno facial, além de melhorar as linhas finas da região do colo. Também pode ser utilizado em glúteos, abdome e braços. Ao contrário dos equipamentos de laser, luz intensa pulsada e radiofrequência, a tecnologia ULTHERA ultrapassa a superfície da pele aplicando a energia de ultrassom microfocado na profundidade, temperatura e precisão ideal. Fantástico, pois trata flacidez de pele e muscular!

Share:

Leave comment